Planear, preparar, viajar

caravana
Fevereiro chegou e daqui a duas semanas estamos de partida. Temos recebido muitas mensagens, sobretudo com as seguintes perguntas:

Como se planeia uma temporada na estrada? Como se começa? E como se financia?
Em jeito de resposta, fizemos uma lista com alguns pontos que tivemos em conta no planeamento e preparação desta viagem.

Escolha do itinerário

A parte mais divertida!

Um dos critérios para definir o destino de qualquer viagem é óbvio: onde é que eu quero ir? Qual é o meu país de sonho? A resposta pode ser múltipla… Por isso, outro critério, mais simples e que ajuda a resolver, é o seguinte: onde é que eu tenho amigos ou conheço pessoas? Fazer um “mapa” de amigos e conhecidos pode ser muito útil. Hoje em dia, com os intercâmbios internacionais e o volume de emigração que existe toda a gente conhece alguém que está a viver fora.

Podemos perguntar onde é melhor ficar a dormir ou mesmo pedir guarida; saber o custo de vida na cidade ou país; obter dicas sobre os supermercados mais baratos e os restaurantes a não perder; descobrir os sítios a visitar fora dos roteiros turísticos; pedir emprestado equipamentos como sacos de cama e tenda se a ideia for acampar.

Em suma: falar com quem está – ou já esteve – nos países onde queremos ir é sempre um bom primeiro passo.

Outro critério na definição do destino é, claro, o orçamento disponível. Saber de antemão o custo de vida de um país ajuda a planear a viagem. É aconselhável fazer uma estimativa dos gastos por dia (alojamento, transportes, alimentação, extras). E, claro, perceber se a época do ano em que viajamos é a mais adequada para determinada zona do globo.

No nosso caso, e como dispomos de vários meses para viajar, o critério principal na escolha do itinerário acabou por ser um mix: países de sonho, países onde conhecemos pessoas, equilíbrio nas contas entre países manifestamente caros (Japão, Austrália, Nova Zelândia) e países mais económicos (Birmânia, Perú e Bolívia). A ideia é: “já que vamos para tão longe aproveitamos para ir a vários países que queremos muito conhecer”.

Depois fizemos o tal mapa de amigos e amigos de amigos e começámos a enviar e-mails e mensagens nas redes sociais. No retorno já temos boas dicas, ajudas, pré-agendamentos de almoços e jantares e a promessa de ver caras conhecidas do outro lado do mundo. Isso não tem preço!

10669011_10153170221181875_2562642802152796874_o

Preparativos

  • Comprar, pedir emprestado, ver na internet guias turísticos e mapas. São importantes para ir planeando quantos dias (ou semanas) queremos ficar no mesmo sítio. No nosso caso gostamos de partir à aventura, mas a experiência diz-me que quanto mais ler e pesquisar sobre os lugares maiores são as probabilidades de aproveitar bem a viagem. Ainda que os “momentos épicos” sejam aqueles que surgem fora do previsto…
  • Fazer a consulta do viajante (dependendo do destino) e vacinas. Ver aqui todos os locais em Portugal onde é possível fazer a consulta do viajante. Já este site, dos serviços de saúde norte-americanos, tem boa informação por país relativa à prevenção de doenças (um pouco exagerada mas útil e com detalhes para quem viaja com crianças).
  • Comprar os bilhetes de avião – já escrevemos sobre isto, aqui.

Burocracias

  • Parece óbvio mas nunca é demais confirmar se todos os documentos necessários estão válidos, a começar pelos… passaportes… (ver se o número de páginas é suficiente ou se cumpre o prazo de validade de 6 meses requerido por alguns países).
  • Confirmar que vistos são necessários para os países onde pretendemos viajar. Alguns requerem um pedido com alguma antecedência. Este site foi uma ajuda preciosa. Basta procurar os países para onde vamos e ver o que é necessário fazer – apenas válido para detentores do passaporte electrónico português.
  • Checar ainda outros itens como a carta de condução internacional, validade e os plafonds dos cartões de crédito. Muito importante para alugar automóvel ou auto-caravana, por exemplo. Verificar ainda se os cartões quer de débito quer de crédito funcionam nos países para onde vamos.
  • Levar uma quantia em dinheiro para as despesas logo à chegada, por exemplo, para o transporte na saída do aeroporto, telefone, alguma emergência, etc. Dependendo do país poderá ser uma boa ideia levar essa quantia em dólares norte-americanos, moeda mais facilmente aceite.
  • Caso a viagem se prolongue por vários meses é recomendável tratar de assuntos burocráticos pendentes ou deixar procuração para que alguém possa tratar. Deixar feito o IRS, por exemplo.
  • Fazer o seguro de viagem. São caros e é preciso escolher bem. Tive sempre más experiências com os seguros de viagem que já subscrevi mas como viajamos com uma criança, por imperativo de consciência, não podemos prescindir.

Financiamento

Esta é uma das perguntas que mais nos fazem e que suscita mais curiosidade. É legítimo. Onde se vai buscar dinheiro para viajar meses seguidos? No nosso caso recorremos às poupanças pessoais. Aquelas que estão guardadas para um “rainy day”… Além disso, existem outras pequenas – médias, grandes ou únicas – formas de contribuir para o budget de uma viagem destas:

  • Arrendar a casa de habitação durante o período em que se está fora. Sempre é um valor que entra na conta todos os meses;
  • Ir à arrecadação, revirar armários e fazer uma vistoria a tudo o que já não utilizamos ou de que podemos prescindir. Quem diz um telemóvel, diz roupa, livros, electrodomésticos, equipamento tecnológico ou mesmo… um carro. Pode ser útil a alguém e ainda render algum dinheiro através dos portais de venda online, por exemplo;
  • Estar fora durante meses ou um ano também pode implicar algumas poupanças mensais que são canalizadas directamente para a viagem. Exemplos: contas da casa, creches e colégios dos filhos.
  • Trabalhar à distância – só para os muito sortudos.

No fundo, é analisar os meios e as dinâmicas familiares e…fazer as contas.

12622015_10153220551131875_4351172590959845154_o

1, 2, 3…Partida, largada, fugida

Com a data de partida a aproximar-se chega a parte de:

  • Pesquisar e reservar alojamento para os primeiros dias. Chegar a um país sem ter sítio onde dormir nos primeiros dias está, para nós, fora de questão desde que temos a miúda.
  • Checar as regras de peso de bagagem. Ou nem checar, no fundo, quanto menos melhor… Andar com um peso-pesado às costas arruína qualquer viagem.
  • Confirmar as amplitudes térmicas dos lugares a visitar. No nosso caso será um desafio extra porque vamos passar pelas 4 estações do ano. Isto implica fazer uma mochila com roupa de Inverno, Primavera, Verão e Outono!
  • Fazer a mala! – esta é a parte que mais nos ocupa a cabeça neste momento. Dicas, alguém por aí?

Estamos a esquecer alguma coisa muito importante? Quem souber que nos diga, por favor…

4 pensamentos sobre “Planear, preparar, viajar

  1. Beatriz Martins

    Complicado, mas para vocês que são os três muito jovens, deve valer a pena … Bj grande.

    Gostar

  2. Pastilhas para purificar a água e caixa de medicamentos e artigos de primeiros socorros.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s