Tóquio, o nosso top 5

IMG_0881

A nossa primeira semana no Japão e chegada a Tóquio não foi das mais suaves. Eu, que me gabava de não sentir fortemente essa coisa do “jet lag”, fui abalroada pelos efeitos da “descompensação horária” causada pela mudança de fuso. Na verdade, fomos os três, e cada um no seu ritmo diferente… Só agora, uma semana depois, estamos a conseguir recuperar as rotinas do corpo e a repor a normalidade. No entanto, e como por vezes acordávamos às 2 ou 3 da manhã e saíamos para a rua aos primeiros raios de luz, começámos logo a explorar Tóquio. Eis o nosso top 5, até agora, desta cidade.

1. Coreografias urbanas

IMG_5997-ANIMATION

Vivem na zona metropolitana de Tóquio mais de 37 milhões de pessoas e na cidade cerca de 10 milhões. Números impressionantes que dão à capital do Japão o título de área mais populosa do mundo. Numa tarde fomos até ao mítico cruzamento de Shibuya, um dos mais movimentados do mundo, onde dizem que a cada mudança de sinal atravessam a rua cerca de mil pessoas de cada vez em seis direcções diferentes. Assistir a estas coreografias urbanas é fascinante. A multidão cruza-se vinda de vários lados da rua com uma agilidade e elegância impressionantes.

Quando aqui estivemos, num dos ecrãs gigantes do local, sempre que o sinal para peões ficava verde começava o anúncio da marca de roupa sueca H&M gravado em Lisboa e protagonizado pelo futebolista David Beckham. A música utilizada no anúncio, Pirates de Max Steiner, um clássico de 1944, assentava melhor que uma luva pronto-a-vestir neste desfile citadino de uma Tóquio em 2016. Não resistimos a passar algumas vezes para trás e para a frente, fazendo parte deste bailado nipónico.

IMG_5996 (2)Mural Mito do Amanhã de Okamoto Taro alusivo à explosão da bomba atómica em Hiroshima, na Estação de Shibuya

Os transportes, sobretudo o metro e os comboios, em hora de ponta também proporcionam um espectáculo obrigatório. Na estação de Shinjuku, bem perto da casa onde estamos a ficar, cerca de três milhões de pessoas cruzam-se diariamente sem nunca se atropelarem ou esbarrarem uns nuns outros. A delicadeza e o civismo desconcertante dos gestos dos japoneses parecem combinar-se perfeitamente com a eficiência do desenho e concepção da rede de transportes.

Outra coisa impressionante é o silêncio. Tanta gente, milhões de pessoas, e não há barulho nas ruas – com excepção das zonas de Harajuku, onde se reúne a comunidade jovem e de Akihabara, a zona frenética dos jogos e da electrónica. Nas estações não há vozes elevadas – na maior parte das vezes nem há vozes pois nas carruagens há sinais para que não se fale ao telemóvel. Nós os três devemos ser, por estes dias, as pessoas mais ruidosas desta cidade. Arigato …pela paciência!

IMG_0832A Mia entre dois símbolos japoneses: a movimentada Estação de Shinjuku com os seus três milhões de passageiros diários e a Hello Kitty.

2. Arquitectura: entre o ultra-moderno e o tradicional

IMG_0781Vista a partir do Tokyo City View, observatório anexo ao Museu Mori Art, em Roppongi

Tóquio deve ser um prato cheio para arquitectos e designers. No primeiro embate, saindo do Aeroporto de Haneda e no comboio para Tóquio, a cidade parece feia. Edifícios altos e cinzentos uns atrás dos outros não atraem por aí além. A pouco e pouco, quando nos embrenhamos nos bairros – mais parecem cidades dentro da cidade – vamos descobrindo os encantos e particularidades desta metrópole.

Em Shinjuku, o centro de negócios, destaca-se o fotogénico arranha-céus Mode Gakuen Cocoon Tower e a Torre do Metropolitan Government Office, onde no 54º andar há um observatório gratuito com uma vista de quase 360 graus sobre a capital.

Em Roppongi, visitámos o enorme complexo comercial e residencial Roppongi Hills. Na Torre Mori fica um museu de arte moderna e o Tokyo City View, um magnífico ponto de observação da cidade. Este projecto promove um estilo de vida em que é possível viver, trabalhar e usufruir de espaços culturais tudo na mesma zona. Numa cidade gigantesca como Tóquio onde, apesar da eficiência dos transportes, se demora a chegar aos vários bairros da cidade, percebe-se bem a razão deste conceito.

IMG_1141Vista para a torre Sky Tree a partir de Asakusa

IMG_5974

IMG_5904Complexo do Shiodome. Sede de empresas, escritórios, zona comercial e restauração

IMG_0712

IMG_0727O Mode Gakuen Cocoon Tower e uma das famosas esculturas LOVE de Robert Indiana, em Shinjuku

IMG_0711O templo de Zojo-ji, no Parque de Shiba e a Torre de Tóquio, inspirada na Torre Eiffel e símbolo do renascimento da cidade após a 2ª Guerra Mundial.

IMG_1154Kaminari-mon, o portão de acesso templo budista Senso-ji, em Asakusa, e a Tokyo Sky Tree, ao fundo

3. Parques e jardins

IMG_5967

A estética japonesa está também reflectida nos parques e jardins de Tóquio. Existem vários espalhados pela cidade e estão impecavelmente cuidados. Algumas árvores como pinheiros e damasqueiros são esculpidas com arte. Conhecemos alguns destes locais também por causa da Mia. São um bom escape às zonas mais confusas e permitem correr, jogar à apanhada e brincar às escondidas, ouvir os pássaros, ver os peixes, cheirar as flores…enfim, gastar energias.

IMG_0878

IMG_6066 (2)Shinjuku-gyoen, conhecido pelas orquídeas e pelas cerejeiras em flor durante a Primavera

IMG_0879Visita de uma escola a um campo de flores ao jardim de Hama-rikyu

IMG_0880(1)Jardim de Hama-rikyu

Passámos algumas manhãs e tardes em parques e jardins tais como o Hama-rikyu, em Ginza, o Shinjuku Gyoen, em Shinjuku, o Yoyogi, próximo a Harajuku, e no enorme Ueno e fiquei com vontade de voltar na Primavera, lá para o final de Março, início de Abril, quando as maravilhosas cerejeiras em flor – ou sakura atingirem o seu pleno. Se no Inverno os parques estão assim – em parte devido às ameixoeiras que desabrocham mais cedo – imagino daqui por uns tempos, altura que são esperadas as grandes multidões de turistas para um espectáculo que só a natureza proporciona e aqui se chama hanami. É também nesta altura que, dizem-nos, os japoneses libertam-se de alguma da sua sobriedade e o Japão fica um lugar mais feliz“Quero fazer contigo o que a Primavera faz com as cerejas”, diria o chileno Pablo Neruda.

IMG_0984

4. Experiências gastronómicas

Comer no Japão é comer… sushi. Era essa a nossa ideia mas até agora ainda não aproveitámos convenientemente. A prioridade tem sido encontrar refeições que sirvam para os três e a oferta é ampla e diversificada. Há muito por onde escolher e a chamada comida de rua é bastante mais em conta do que pensávamos. Um amigo que vive em Tóquio apresentou-nos ao famoso ramen e logo tornou-se uma das nossas escolhas principais, primeiro porque a Mia adora e em segundo porque é muito barato. Geralmente os restaurantes que servem este caldo de massa com carne, vegetais, cogumelos ou ovo, são espaços pequenos – um balcão com bancos altos – mas simpáticos. Outro favorito até ao momento chama-se okonomiyaki, uma espécie de panquecas recheadas com carne, marisco ou vegetais. Fizemos duas incursões pelo sashimi – a Mia ficou-se pelo peixe grelhado acompanhado de arroz – e continuamos a guardar-nos para o sushi.

IMG_1208Ramen, caldo de massa com carne, vegetais, cogumelos ou ovo. O favorito da Mia.

IMG_1209

IMG_1213

IMG_1212Restaurante Nagi na pitoresca zona de Golden Gai

IMG_5932Batata doce assada à venda na rua

IMG_0875Bancas ao redor do famoso mercado do peixe Tsukiji

IMG_1211Okonomiyaki, uma espécie de panquecas à moda japonesa cozinhadas à mesa

5. Vista para o Monte Fuji

Pura magia. O Monte Fuji é um símbolo do Japão e uma das imagens icónicas do país. Este vulcão adormecido é considerado património mundial e recebe centenas de milhares de visitantes todos os anos. Não pensamos subir – por motivos óbvios – mas é possível que até ao final da nossa passagem pelo Japão ainda o visitemos de perto. Para já temos contemplado o Monte Fuji da janela da “nossa” casa de Tóquio. Nada mau…

image1.JPG

6 pensamentos sobre “Tóquio, o nosso top 5

  1. Muito giras as fotos. Que bela aventura 🙂 bjs e boa viagem

    Gostar

  2. Adorei. E vê lá ser não abusas do sushi quando chegar a hora 😀 Bjs

    Gostar

  3. Cláudia Cláudio

    Um deleite. Beijos para todos.
    Cláudia Cláudio

    Gostar

  4. Adorei a vossa perspetiva sobre Tóquio, mais realista do que os (poucos) relatos a que tenho tido acesso. Vão a mais algum sítio no Japão? Ouvi dizer que Osaka vale a pena visitar.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s